RSS

Menina do Ônibus

Boa tarde menina do ônibus, estou escrevendo para lhe informar que não quero te conhecer. Isso, mas não precisa ficar preocupada, eu explico com todos os detalhes. Não, não foi o fato de tu falar demais que me fizeram tomar essa decisão. Não, também não foi o teu sorriso metálico, aliás, ele é bem fofinho. E sim, eu realmente não tenho celular, e talvez esse fato tenha me ajudado e muito nessa decisão.

Read the rest of this entry »

 
3 Comentários

Publicado por em fevereiro 10, 2012 em Uncategorized

 

Meninas Marcadas

Havia essa garota. Essa “A” garota, melhor dizendo. Adjetivos vagos não combinam com ela. Conheci ela já tem vários anos, uns 5 ou 6 talvez, não lembro. And I can´t remember life before her “met”, já dizia o John Mayer.

Não lembro bem qual foi a primeira vez que trocamos meia duzia de palavras, talvez na escola de inglês ou por alguma rede social da época, mas gostava de considera-la meio “intangível”, “inalcançável” ou simplesmente boa demais, fazia parte do desafio. Eu não era a melhor pessoa naqueles anos, talvez não seja até hoje em dia, mas sei que aquelas poucas horas, em que eu podia ficar alto com a presença dela, já eram suficientes.

Read the rest of this entry »

 
1 comentário

Publicado por em dezembro 29, 2011 em Uncategorized

 

O meu presente pra você

É verdade, tu sabes bastantes coisas a meu respeito, muito mais do que eu acho que sei de ti e tão pouco sobre a tua pessoa. Mas a maioria das coisas que ficam entaladas aqui nem devem passar pela tua cabeça, e uma delas é a saudade, essa que tu me presenteaste nesse natal. Tenho que te dizer, eu nunca aprendi a lidar com ela. Quando menor, eu tive tudo no tempo que eu queria. Brinquedos, viagens, afeto, qualquer coisa. Eu batia o pé e aparecia, não sei exatamente o por quê, mas simplesmente acontecia. É claro, chega ser egoísmo da minha parte dizer tudo, mas se por algum acaso eu simplesmente não podia ter alguma coisa que eu almejasse, eu matava o desejo dentro da minha pessoa, com bebidas, mulheres, jogatinas, drogas: Qualquer coisa que fizesse minha cabeça viajar para outros momentos que não precisasse pensar muito.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 22, 2011 em Uncategorized

 

Até amanhã de manhã

Eu não sei muito bem por onde começar, mas tu deves saber que eu andei pensando em ti nesses becos e entreveros que a vida insiste em nos colocar. Principalmente em todos aqueles momentos que a gente acabou guardando na memória. No dia em que tu apareceste na esquina da minha casa, logo antes do sol começar a aparecer, não teve coragem de caminhar até a minha porta e eu tive que te encontrar para escutar algumas palavras que mudaram tudo em nossas cabeças, enquanto perto do teu peito tu mantinhas um objeto de muito valor, para mim. Quando tu falavas que eu deveria fugir, mas que não gostaria que eu fizeste isso. Andei pensando em todas as promessas, viagens, e todas aquelas mentiras que mesmo sabendo que nunca se concluiriam, insistíamos a conversar sobre. Nos saltos de paraquedas e nos brinquedos do Beto Carreiro. Os brinquedos do Beto Carreiro.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 16, 2011 em Uncategorized

 

Sobre o tudo, e o nada.

E aí, como tu tá? Pega aquela cadeira ali do lado da porta e pode sentar, hoje eu vim trazer umas palavras para ti, para nós; as mesmas que são sempre necessárias nessas tardes chuvosas que nós tanto gostamos. E tu, o que tem para me dizer sobre todos esses dias que a gente não se falou? Tá, tá, tá, pode ir direto para os detalhes e me dizer o que é verdade, por que os fatos e as suposições eu conheço todas e já ouvi todos falarem, nem precisa perder o teu tempo…

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 9, 2011 em Uncategorized

 

Miniconto #7

É engraçado como todas essas coisas acontecem e nós não conseguimos apontar ou explicar como realmente aconteceu, e em qual momento aquilo tomou outras proporções. Foi mais ou menos assim com ela. Conheci Ana Cristina em um desses caminhos irônicos da vida, que a gente acredita que só aconteçam em filmes da Disney, ou novelas em que a Giovana Antoneli é a atriz principal. Ela não esperava, eu não esperava, e quando vê, estávamos rindo em meio a uma conversa casual sem nenhuma vontade de sairmos dela tão cedo.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em dezembro 2, 2011 em Uncategorized

 

Da série: E-mails que não foram enviados

Hoje fazem cerca de cinco dezenas de dias desde que tu entraste pela porta dianteira do meu humilde carro. Com esse sorriso, o jeitinho serelepe, as manhas, as risadas, a nicotina, e sempre reclamando do meu jeito, da forma como eu falo, e das minhas expressões faciais dignas de teatro. Tento escrever sobre isso sem que pareça um clichê novelístico mexicano que insiste em reprisar na televisão, ou um romance da Meg Ryan, até por que não combinam muito conosco…

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em novembro 26, 2011 em Uncategorized